sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Óleo na pista


O primeiro vídeo não tem graça (felizmente), afinal, o Fabrício, leitor do blog, conseguiu escapar ileso do susto de encontrar óleo na pista. Claro que eu não desejaria que ele ou qualquer outro caísse, mas como ilustração do perigo, o segundo vídeo é melhor. O piloto do segundo vídeo não teve a mesma sorte.
Encontrar óleo no meio de uma curva é uma das piores situações que um motociclista pode enfrentar. Na maior parte das vezes é impossível defender-se.
A boa notícia é que os carros tem menos tendência a apresentar vazamentos desse tipo hoje em dia. Mas, se acontcer.... Mas vamos as dicas de segurança e ver o que se pode fazer.
Basicamente a questão é prevenção, pois depois de estar em cima do óleo só se pode fazer como o Fabrício, tentando manter a moto o mais reto possível (nem sempre dá para fazer isso) e evitar manobras bruscas.
Preventivamente, o que dá para fazer é prestar atenção em qualquer mudança de cor ou brilho no asfalto. Também é importante notar que a mancha é mais comum no meio da faixa, posição em que passa o motor dos veículos; trafegando na linha em que passam os pneus dos carros o perigo é um pouco menor.
Além disso, observe se há tráfego de caminhões no local; eles costumam ser os maiores derramadores de óleo. No mais, torcer para acabar tudo como o primeiro vídeo

2 comentários:

Renato disse...

O que observo que é que normalmente este tipo de óleo é derramado por ônibus e caminhões e é do tanque. Muito comum aqui em Curitiba, por exemplo. Pegou óleo é tombo na certa.

Rildo disse...

O Ano Passado levei um tombo justamente numa curva cega. Um caminhão fez a curva e lavou uma das faixas. Eu e mais 5. Foi um festival de tombos.