quarta-feira, 20 de agosto de 2008

"Moto do Coração" - CB400/450


A CB 400 acabou com um longo jejum, tempo de vacas magrelas, imposto pelo governo ao proibir as importações de motos em 1976. Quando a CB 400 surgiu, em 1980, as reações foram ambíguas; A grande maioria respirou aliviada por ter, finalmente, uma opção de tamanho e cilindrada maior do que os espartanos 125 e 180cc disponíveis no mercado. Uma parcela menor reclamou; afinal, não era fácil aceitar que 4 anos antes podia-se comprar uma CB400 four, ou uma GT380 (para quem preferia os 2 tempos), entre várias outras opções. A CB 400, única no mercado, tinha que satisfazer a todas as expectativas dos consumidores.
Mas ela tinha qualificações para enfrentar a dura missão. Trata-se de uma moto de concepção simples, mas bastante versátil. Seu motor é confiável, mas tem um desempenho razoável, com seus 40 hp (43,3 na 450). Pode ser considerada econômica também, dentro do desempenho que oferece, chegando a passar dos 25km/l em determinadas situações. Freios, ciclística e equipamentos em geral seguem a mesma linha de versatilidade e bom rendimento. Os freios, por sinal, tiveram diversas configurações, com disco simples ou duplo na dianteira e tambor ou disco na traseira; apenas o disco traseiro recebeu críticas por travar facilmente.
Vale dizer ainda que a moto é bastante confortável, praticamente sem vibrações, encarando bem tanto o trânsito urbano como as estradas. Somente numa tocada mais esportiva as suspensões mostravam alguma limitação, não transmitindo toda a segurança que se deseja.
Não vou citar aqui todos os modelos (foram muitos nesses 14 anos de produção até 1994), mas a minha preferida é a 450 Custom. Em todas as mudanças de grafismo, no entanto, a Honda conseguiu manter beleza e modernidade.
Hoje, tem uma legião de admiradores; gente que, privado de desfrutar dos lançamentos internacionais, não deixou de se divertir, trabalhar e viajar de moto, encontrando na CB sua companheira de aventuras. Difícil é comprar uma bem conservada, pois quem tem não vende, quem vende se arrepende.

8 comentários:

Jorge disse...

Hola amigo: quería invitarte que visites el blog que estoy realizando con mis alumnos de segundo año de la secundaria sobre LA DISCRIMINACIÓN.
http://nodiscrimine.blogspot.com
Tema arduo e interesante.
Seguro será de tu agrado.
Te invitamos que leas lo que gustes de él y hagas una opinión sobre el mismo.
Tu aporte será valioso.
En el blog encontrarás un traductor de la página en varias lenguas si lo necesitas.
Un abrazo desde la Argentina.

José disse...

Olha a minha CBzona aí =)

Para mim não existe moto com melhor custo/benefício no mercado hoje em dia.

Já tive uma Intruder250, uma Falcon NX4 e a CB450DX aí da foto. Não troco nem a Intruder, nem a Falcon pela minha CB. Questão de gosto, mas essa é minha opinião!

afonso disse...

muito boa a matéria

amigo você falou que ta ficando sem dicas de segurança, procura algo sobre dias de muito vento, passar em pontes etc o que é melhor fazer essas coisas, lembrei de vc pois ontem o vento aqui em florianopolis tava muito forte e passando na ponte eu balançava que nem doido nem me arrisquei a passar no meio dos carros.

abraços

afonso.

afonso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
afonso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Itá disse...

Olá Youssef,

Obrigado por mais este post no seu belissímo Blog, aonde eu gostaria de salientar o fato "histórico" que a CB 400 promoveu durante o seu lançamento nos anos 80. Na época, a fila para a aquisição de uma era de no minimo seis meses, enquanto a produção no inicio apenas engatinhava. Fato esse que gerou,sem duvida, um dos maiores ágios da história desse pais, pois era muito fácil vender uma moto recem adquirida pelo dobro do valor, haja visto que todos queriam uma não se importando com os preços. Lembro-me que até cotas de consórcio eram vendidas com ágio. E mesmo defasada como realmente ela era comparando-se com outros modelos da época, assim mesmo ela perdurou no mercado até transformar-se na CBR 450 que finalmente extinguio o modelo que é sem duvida adorado até hoje.

fadel disse...

é meu amigo assim como vc sou um admirador dessas lendas , algumas vivas, sou mecanico a mais de 20 anos tenha uma 450tr vermalha 31.000 kilometros originais meu amigo ki maquina, num vendo,num empresto e num do kkkk abraço e parabens pelo blog

Anônimo disse...

Fernando CBZONA 450 tr: Olá camarada..parabens pela sua cbzona..muito show! Também tenho uma..de uma olhada!
http://blogdacb450tr1987.blogspot.com/2009/10/cbzona.html